Semana de Combate à Corrupção lança programa que mede a qualidade do trabalho das ouvidorias no atendimento aos cidadãos e discute papel da atividade correcional

Programa de Maturidade de Ouvidoria tem como objetivo melhorar ainda mais a prestação deste serviço ao cidadão. “O programa permitirá a preparação de um roteiro para a implementação ordenada de boas práticas de ouvidoria e uma estrutura para avaliação e certificação da atividade nos órgãos do Poder Executivo goiano, que contarão com um ranking”, explica o controlador-geral do Estado, Henrique Ziller. Palestras também vão tratar do papel da atividade correcional no combate à corrupção

Na programação da Semana Internacional de Combate à Corrupção, realizada pelo Governo de Goiás, a Controladoria-Geral do Estado (CGE) promove, nesta quarta-feira (8/12), o lançamento do Índice de Maturidade do Sistema de Ouvidorias de Goiás. A abertura do evento, às 9h, será feita pelo controlador-geral, Henrique Ziller, e pelo subcontrolador de Governo Aberto e Participação Cidadã da CGE Goiás, Diego Ramalho, e será transmitida pelo canal da CGE no Youtube (youtube.com/cgegoias).

Após a abertura da solenidade, será apresentado o case “Ouvidoria Ativa – relato de audiência com usuários de serviços públicos”, feito pela superintendente de Ouvidoria da Saneamento de Goiás S/A (Saneago), Stella Márcia Oliveira Lino. Em seguida, o superintendente de Governo Aberto da CGE, Bruno Rolim, tratará do tema “Inteligência artificial aplicada ao Sistema de Ouvidorias de Goiás”. Ele afirma que, com a utilização da inteligência artificial no sistema do Estado, o usuário não precisará mais escolher o órgão público ao qual deseja destinar a demanda. “Atualmente, o cidadão precisa indicar, dentre os 47 órgãos disponíveis em nosso catálogo, para qual ele deseja enviar a manifestação”. 

O lançamento do Programa de Maturidade de Ouvidoria pela CGE tem como objetivo a melhoria da prestação deste serviço no Estado. O lançamento ocorre durante o painel “Maturidade das Ouvidorias: primeiros resultados e próximos passos”. Segundo Henrique Ziller, “a execução do programa permitirá a preparação de um roteiro para a implementação ordenada de boas práticas e uma estrutura para avaliação e certificação da atividade”.

Como reconhecimento ao trabalho das ouvidorias setoriais implementadas nos órgãos, a Ouvidoria-Geral homenageará as que se destacaram em 2021. De acordo com o ouvidor-geral do Estado, Danilo Borges Carvalho, as melhores foram selecionadas a partir de critérios que envolvem, entre outros, a rapidez e a qualidade das respostas aos usuários.

Papel da correição
Na parte da tarde, a partir das 14h, será realizado o painel “O papel da atividade correcional no combate à corrupção”, que contará com a participação do corregedor-geral da União, Gilberto Waller Júnior, e do diretor de Responsabilização de Agentes Públicos, da Controladoria-Geral da União, Fabian Gilbert Saraiva Silva Maia.

A abertura dos trabalhos ficará a cargo do controlador-geral do Estado, Henrique Ziller, seguido das palestras “A corregedoria no combate à corrupção” e “Desafios contemporâneos da responsabilização disciplinar de agentes públicos”. Ao término, haverá um momento dedicado a perguntas dos participantes. Todo o evento será virtual, aberto ao público e transmitido pelo youtube.com/cgegoias.

A atividade correcional visa dissuadir e prevenir a prática de irregularidades administrativas, responsabilizar aqueles que cometem ilícitos disciplinares ou que pratiquem atos lesivos contra a Administração Pública, zelar pela eficiência, eficácia e efetividade na execução das políticas públicas e contribuir para o fortalecimento da integridade. Todas essas ações ajudam a promover a ética e a transparência na relação público-privada.

Sob as perspectivas de fornecedores e agentes públicos, os palestrantes trarão aos participantes os desafios observados no dia a dia daqueles que lidam com a atividade correcional, bem como as medidas adotadas pela Administração Pública diante de tais situações relacionadas a servidores, fornecedores e outras partes interessadas, demonstrando as ações adotadas pelo Poder Público frente a circunstâncias de fraude e corrupção.

Nesta perspectiva, o corregedor-geral da União, Gilberto Waller, falará sobre o tema “A corregedoria no combate à corrupção”, apresentando como as corregedorias têm enfrentado e atuado nos processos de apuração dos atos lesivos causados contra a Administração Pública por parte de fornecedores, pessoas físicas ou jurídicas, que são contratadas pelo Poder Público, levando em conta a Lei Anticorrupção.

Fabian Saraiva Maia falará sobre os “Desafios contemporâneos da responsabilização disciplinar de agentes públicos”, momento no qual tratará dos obstáculos que as unidades correcionais enfrentam em relação à responsabilização dos servidores.

Controladoria-Geral do Estado (CGE) – Governo de Goiás