Caiado lança edição 2021 do Projeto Estudantes de Atitude, com 500 escolas e premiação de R$ 140 mil

Inscrições on-line seguem até domingo (19/09) e atividades começam na semana seguinte. Disputa gamificada fomenta cidadania e participação social dos alunos da rede pública estadual. Estudantes assumem papel de auditores na escola, identificam problemas, buscam e executam soluções. Iniciativa goiana é replicada em outros estados. “Estamos construindo uma nova geração, comprometida com a ética, a cidadania e o bom uso dos recursos públicos”, afirma governador

O governador Ronaldo Caiado lançou, nesta terça-feira (14/09), a edição 2021 do Projeto Estudantes de Atitude, que tem o objetivo de fomentar a cidadania e a participação social dos alunos da rede pública estadual, por meio de uma disputa gamificada e sadia entre as escolas. O projeto é coordenado pela Controladoria-Geral do Estado (CGE), em parceria com a Secretaria de Estado da Educação (Seduc). São ofertadas vagas para 500 escolas estaduais, distribuídas proporcionalmente pelas coordenações regionais de ensino. Nesta edição, será distribuída uma premiação total de R$ 140 mil. 

“Estamos construindo uma nova geração, comprometida com a ética, a cidadania e o bom uso dos recursos públicos”, disse o governador em participação no canal da Seduc no YouTube. Caiado também avaliou o projeto como uma “competição saudável”. “O  programa Estudantes de Atitude quer promover uma mudança no comportamento das pessoas”, projetou o chefe do Executivo estadual. 

Em sua breve explanação, durante o lançamento do projeto, Caiado lembrou escândalos de corrupção que, no passado, mancharam a história de Goiás e do Brasil. “Quem colhe os prejuízos da corrupção é o povo”, afirmou o governador. O chefe do Executivo também lembrou que herdou muitas dívidas das gestões passadas, quando assumiu o Estado em 2019. Naquele período, segundo Caiado, a máquina pública havia sido duramente atingida pelo mal uso dos recursos públicos. “Se 25% das verbas destinadas para a Educação são uma obrigatoriedade Constitucional, como a Educação, em Goiás, chegou ao colapso completo naquele momento?” questionou. 

Em sua fala, o governador reforçou a importância de programas como Estudantes de Atitude e Compliance Público para evitar apropriação indevida dos bens coletivos. “Quando o dinheiro é aplicado corretamente a transformação acontece. É isso que temos feito no Estado de Goiás. É isso que queremos que nossas crianças e jovens aprendam com essa competição”, ponderou. 

As dez escolas mais bem colocadas dividirão R$ 100 mil. Os times de professores (cada escola pode indicar até três professores para constituir o seu time) disputarão os R$ 40 mil restantes, divididos entre os três primeiros grupos. Os professores receberão capacitação da CGE para a melhor compreensão das atividades e das fases do Estudantes de Atitude.

Segundo o controlador-geral do Estado, Henrique Ziller, o projeto não envolve apenas a Seduc e a CGE, mas é desenvolvido com a participação de muitas mãos. “É um desafio enorme. Uma brincadeira séria que busca despertar, na comunidade educacional, valores e práticas que coíbam e proíbam a corrupção”, explicou o controlador. 

Diante do sucesso do Estudantes de Atitude, realizado em 100 escolas de Goiás no ano de 2019, o Ministério da Mulher, Família e Direitos Humanos adotou o projeto goiano e passou a replicá-lo em outros estados do Brasil, participando esse ano como coordenador nacional.

Ao discursar a secretária de Estado da Educação, Fátima Gavioli, fez questão de ressaltar os dados de Goiás, que com o ensino híbrido conseguiu manter em sala de aula 94% dos 536 mil alunos, o que para ela, é resultado dos investimentos do Governo de Goiás no setor. 

Ela pontuou que o Estudante de Atitude é o maior programa escolar de participação social da educação brasileira. "Estamos levando transparência a políticas e a ação pública de forma direta a 500 unidades, mais de 20 mil alunos e 1.500 professores. “Nenhum governo que faz coisa errada realiza projeto tão transparente, onde o aluno fiscaliza o dinheiro que chega à escola. É algo jamais visto dentro da educação brasileira no quesito transparência”, frisou Fátima Gavioli. 

O secretário adjunto da Secretaria Nacional de Proteção Global do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos (MMFDH), Eduardo Melo, também participou do lançamento do projeto. Em sua fala, reforçou a parceria do Governo Federal. “O programa Estudante de Atitude oferece educação experiencial, que incorpora no aluno o pensamento, a atitude e a mudança. Ele desperta a inteligência cidadã na coisa pública, ao erário e ao que pertence à comunidade", reforçou Melo. 

Segundo dados da Seduc e da CGE, em 2019, 105 escolas participaram do projeto. A iniciativa contou ainda com o envolvimento de 269 professores e 5 mil alunos. Juntos eles auditaram 13.806 ambientes escolares. O grupo também arrecadou 14.500 litros de óleo para doação a famílias em situação de vulnerabilidade social. No mesmo período, a plataforma Game da Cidadania teve 4.830 vídeos publicados. No conteúdo multimídia os estudantes abordaram temas ligados à ética e uso correto dos recursos públicos. 

Calendário
As pré-inscrições, que podem ser realizadas somente pelos diretores das escolas, já estão abertas e ocorrem até domingo (19/09), por meio do site www.estudantesdeatitude.go.gov.br. De acordo com o edital do projeto, os colégios participantes da edição 2021 receberão e-mails de confirmação da inscrição até o dia 20 de setembro.

As atividades começam em 24 de setembro, e os vencedores serão conhecidos e premiados pelo governador Ronaldo Caiado no início de dezembro, durante a Semana de Combate à Corrupção, organizada pelo Governo de Goiás. 

O projeto Estudantes de Atitude desse ano foi elaborado de acordo com o contexto pandêmico, para estimular o pensamento crítico e a diversão em estudantes da rede pública do Estado de Goiás. Os protocolos de segurança serão rigorosamente seguidos para evitar aglomerações, prezando pelos encontros híbridos. Apesar das adaptações, a edição 2021 pretende manter a conexão com a comunidade escolar, seja online ou presencial.

Dinâmica
Um grupo de alunos fará uma Auditoria Cívica na escola com a ajuda de um aplicativo, onde avaliam as condições de todo o ambiente escolar para levantar os possíveis problemas e soluções. 

O desafio final, que concorre à premiação, será a materialização da Auditoria Cívica, ou seja, os estudantes e professores identificam os problemas através da auditoria, elegem um desses problemas e discutem como resolvê-lo. 

A execução dessa solução, que pode ser construir uma área de convivência, por exemplo, é o desafio que eles deverão realizar, envolvendo a comunidade escolar. Os competidores também terão que desenvolver tarefas especiais, pequenas atividades individuais que instigarão os alunos a pensarem seu papel na sociedade e na escola.

Governo de Goiás