CGE homenageia servidores por atingir o nível 2 do IA-CM

A CGE-GO, junto com a CGDF, são as únicas controladorias do país a ter atingido o nível 2 de certificação dentro do Modelo de Capacidade de Auditoria Interna (IA-CM), sendo que a CGU está em processo de finalização para também alcançá-lo. Servidores homenageados trabalham há sete anos com a ferramenta

O controlador-geral do Estado, Henrique Ziller, reuniu toda equipe da Controladoria-Geral do Estado (CGE/GO), na manhã desta sexta-feira (09/09), no auditório Mauro Borges do Palácio Pedro Ludovico Teixeira (PPLT), para homenagear a equipe de gestores responsáveis pela coordenação e validação da Controladoria ao nível 2 do Modelo de Capacidade de Auditoria Interna (IA-CM). Os gestores Valéria Correa Rocha e Antônio Fábio Jubé receberam placas comemorativas pelo trabalho. 

O controlador-geral relembrou a atuação na CGDF, no ano de 2015, quando foi apresentado pelos gestores Marcos Tadeu Andrade (ex-subcontrolador de Controle Interno da CGE); Lúcio Pinho; Liane Angoti e Paulo Lemos ao IA-CM, durante implantação da ferramenta na Controladoria do Distrito Federal.

Ao lado da CGDF, Henrique Ziller explicou que a CGE-GO é a segunda entre os órgãos de controle do país a conquistar o nível 2 do IA-CM, e que a Controladoria-Geral da União (CGU), sempre parceira da controladoria goiana, está em vias de ser a terceira. “A equipe do Fábio/Valéria foi fundamental nesse processo exigente de qualificação. Basta dizer que essa certificação é pedida pelo Banco Mundial para firmar contratos com entidades de auditoria Interna, e Goiás agora está apto”, garantiu.

Uma comissão de revisores independentes do Conselho Nacional de Controle Interno (Conaci), esteve na CGE, no final do mês de agosto e avaliou, por meio dos documentos apresentados, reuniões com as áreas técnicas da CGE-GO e em visitas a órgãos e entidades estaduais, o grau de maturidade do IA-CM e se Goiás atendeu todos os macroprocessos chaves da atividade de auditoria interna (KPAs) do nível 2 da matriz do modelo. Na época, o grupo de revisores, servidores e o Controlador, também, foram recebidos pelo Governador, Ronaldo Caiado.

Segundo Fábio Jubé “o bom trabalho e a qualidade da gestão de riscos disseminada pela CGE certamente impressionou os avaliadores”. Para ele, a identidade do IA-CM não é única, mas fruto do trabalho de todos da CGE e por isso estão todos de parabéns. Valéria Rocha lembrou que demorou um tempo até assimilar a cultura do IA-CM, mas agora que o órgão alcançou o nível 2, os próximos níveis serão as metas a se alcançar. “Em breve estarei aposentada, mas junto com a população vou colher os frutos desse trabalho que reflete cidadania”, disse.